segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Contigo irei


Irei debruçar minha lira sobre sua tez
Para desbravar a escuderia de seu coração
Arrancar suas sandálias, desnudar seus pés
Rebentar seu colar, encontrar sua pulsação
Desofuscar seus olhos
Perfumar-lhe o corpo
Abarcar-me em seu colo ao cambiar nossos sonhos
Atordoar seus ossos
Eleger-me seu escopo
Besuntar com seiva seus tornozelos

Desembocar na hidrografia das suas pernas
Cintilar e bambear com esmero seus joelhos
Sibilar em seus ouvidos adorações ternas
Valsar na cadência de seus quadris
Contrair com doçura seu abdômen
Embrenhar-me na torrente de seus ardis
O ferendar-lhe em Cancun um totem
Arquejar suas vértebras, eriçar seu dorso
Desfolhar-lhe a intimidade ritmadamente
Ciclonizar sua relva, embalar seu repouso
Vislumbrar suas mãos agarradas trêmulas em mim
Esvoaçar seus cabelos com ternura infinita
Tatuar meu nome em seus lábios enquanto você me chama
Provocar-lhe lampejos, espasmos únicos e raros de contentamento

Só contigo transpor planícies, oceanos de tempo e qualquer obstáculo
E desposar-te entre as flores do Lácio




7 comentários:

Lúcia disse...

Inebriante "convite" de casamento.

Ode somente cunhado por quem vivencia um grande amor em toda a sua plenitude e esplendor.Meus parabéns, pois está perfeito!

Lô, vc é uma incógnita que alterna amor incondicional, paixão absoluta, ternura que lateja, cólera por saudade, melancolia, desespero, exaltação e demais afins da alma em toda sua profundidade. Suas palavras são vivas e emocionam e fazem com que teu leitor vivencie e se transporte fascinado ao teu sentir.

Boas festas e tudo de bom!

Lúcia

Loba Azul disse...

Obrigada pela visita, atenção e palavras, Lucia.

Boas festas p/ ti tbém!

Abraços

Los Besos disse...

Tira-me a luz dos olhos e continuarei a ver-te
Tapa-me os ouvidos e continuarei a ouvir-te
E, mesmo sem pés, posso caminhar para ti
E, mesmo sem boca, posso chamar por ti.
Arranca-me os braços e tocar-te-ei com o meu coração
como se fora com as mãos...
Despedaça-me o coração - e o meu cérebro baterá
E, mesmo que faças do meu cérebro uma fogueira,
Continuarei a trazer-te no meu sangue.
(Rainer María Rilke)
Eres el amor de mi vida!

Anônimo disse...

Belíssimo!!!

Loba Azul disse...

Eu sei que sou o AMOR da tua vida, minha adorada!

zöe disse...

Magnífico!!!

Anônimo disse...

AMB TU...MAI...HI HA SOSTRE CADA DIA ET SUPERES....