quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Pájaro Herido - (El pájaro de mis ojos se ha ido)


O pássaro dos meus olhos foi-se embora
partiu deixando o ninho esquecido
numa bandeja de prata ao luar
para eu enfeitar minha íris

Eu hoje acordei mais tola e sozinha
sem o pulsar do sol dos meus dias
que vivia encantado de mãos dadas com
a sombra de minha imaginada rainha

E no oco indefeso do peito
só resta este eco
concupiscente de ausência ao redor
num tilintar banalíssimo de bocas, de dedos,
de sonhos desfeitos e bodas vazias 


 'El pájaro de mis ojos se ha ido
Ido dejando el nido olvidado en
bandeja de plata en la luz de la luna
para yo adornar mi iris

Traicionero pájaro de alas negras distraídas ...
Por qué entonces, no me arrancastes los ojos
en lugar de este agudo jodido silencio'?


3 comentários:

Loba Azul disse...

'El pájaro de mis ojos se ha ido
ido dejando el nido olvidado en
bandeja de plata en la luz de la luna
para yo adornar mi iris

Traicionero pájaro de alas negras distraídas ...
Por qué entonces, no me arrancastes los ojos
en lugar de este agudo silencio'?

(Loba Azul)

Loba Azul disse...



Meu calcanhar de Aquiles...


Ninguém sabe como me dói ...

Ninguém sabe como me mói ...

Aquilo que me fizeste...

Ninguém sabe como me dói ...

Ninguém sabe como me mói ...

Aquilo que me causaste...

Ninguém sabe como me dói ...

Ninguém sabe como me mói ...

Como me magoaste ...

Ninguém sabe como me dói ...

Ninguém sabe como me mói ...

Saber p'lo que me trocaste...

Ninguém sabe como me dói ...

Ninguém sabe como me mói ...

Saber que não tentaste...

Ninguém sabe...

Aquilo...

Ninguém sabe...

Mas eu sei...

(Heber Rebelo)

Janna disse...

Maravilhoso, Lobinha!

Parabéns!