domingo, 25 de outubro de 2015

Se me ama!



Se me ama, ama-me toda,

Não por zonas de luz ou sombra.
Se me ama, ama-me negra
E branca e verde e loira
E morena

Queira-me dia
Queira-me noite
De madrugada com a janela aberta

Se me ama, não me ame pela metade:
Ama-me toda... ou não me queira!


sábado, 24 de outubro de 2015

Una Imagen Irresistible


Na verdade e por mais que nos custe admitir, sempre fomos apenas uma foto, um conceito. Uma imagem irresistível que criamos e amamos desesperadamente a partir de um conjunto de sonhos, de anseios indefinidos, de desejos intensos não cumpridos, lacunas excessivas, silêncios agudos e um calendário magoado de lagrimas a mofar nossos girassóis.

Apesar de toda aquela energia inevitável de coesão visceral que nos unia - éramos tão inadiáveis, que ao mergulhar desesperadas em nós, escancaramos tanto os olhos que enxergamos apenas o fundo... onde hoje só nos resta a sombra daquele balaio de beijos esquecido num canto, os '98 anos e mais alguns' caducados, mil e uma promessas solenes não realizadas, e este abismo e o mar, no meio de nossas mãos vazias, para sempre separadas e impotentes.

Tanto que hoje e obstante ao aniquilamento das ilusões, é vital continuar tentando desesperadamente pela pungência da dor, ingressar-nos ao esquecimento, mesmo que ainda insista e me assombre tanto como a uma ferida aberta, este estigma da saudade invencível de nós duas, que carrego comigo, agarrado a minha insônia e a se alimentar eternamente de minha essência e de todo este meu, i n f i n i t o amor... imaginado.


domingo, 18 de outubro de 2015

Insanidade



Há em ti uma nuvem
que rasga o céu em tempestade,
e o tempo que sacode
o ventre de um poema vazio.

Há em ti uma parte
que se foi sem sobras,
no silêncio e solidão
do escuro das cores.

Há em ti o delírio
e a demência que flutua
numa sinfonia de liberdade
onde se devaneiam os impossíveis.

Há em ti…
…um pouco de alucinação
e a loucura que procurei

ensandecidamente


segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Exílio



Lateja-me a essência toda
este exílio da ilusão perdida
de ser carne da sua carne para
ser alma da tua alma em um só

corpo dentro e sempre aquém a
integrar-me e desintegrar-me em ti
sonhando ser uma em ambas...
enquanto ambas, ninguém