sábado, 8 de agosto de 2015

HÁ AINDA



Há um silêncio
a percorrer o meu corpo

Há um mar de saudade
na minha pele ainda quente

Há uma sombra
nos meus olhos silentes

Há musgo úmido
nas minhas mãos ausentes 

Há uma voz rouca e tremula
que ainda soletra o teu nome e estremece

Há maresia nos meus lábios
E nos dedos a lembrança da tua voz

Ainda te sinto...


3 comentários:

Loba Azul disse...

"Uma fatia do meu pescoço,
um naco da minha coxa,
Uma lasca da minha nuca,
uma porção da minha boca.
Você me quer por inteira. Jura na cama,
na pia da cozinha, embaixo do chuveiro.
Mas a cada encontro tira um pedaço de mim.
No dente".

Orlando disse...

Magnífico!

Orlando disse...

Soberbo poema. Parabens, Loba!


Orlando