sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Étrange L'amour





-"Pessoas colocam portas em suas vidas para mantê-las num espaço isolado. Preferem ambientes conhecidos... controlados e calculados do que o externo duvidoso. Talvez, pelo enorme tempo fechadas, essas portas perdem a capacidade de abrir já que seus trincos e dobradiças se tornam duros e enferrujados. Tudo tem um custo... a segurança pode trazer conforto mas impede aprendizados e o conhecimento - isso é aporta fechada".



3 comentários:

Loba Azul disse...

-"Bem que lhe avisei: “cuidado ao fechar a porta”. Mas você saiu chutando, ameaçando e tratou de justificar suas frustrações batendo-a: “plá!”. Nem um ranger, nem uma fresta por onde pudesse alcançar-lhe a esperança.

Foi uma sonora manifestação de socorro: “cuidado ao fechar a porta”. Não corri para lhe interromper, nem me atirei aos seus pés pedindo para mantê-la como estava. Preferi me afastar da responsabilidade pelo silêncio que ficaria.

Agora me desfaço com desdém daquilo que sobrou de nós: “plá!”. Passo pela mesma porta e ela se mostra esnobe, abre-se toda aquela arregaçada ao primeiro que lhe gira a maçaneta, sem perceber que poderia estar ali fechada, emperrada".

(“Da plasticidade da libido”, Natthalia Paccola)

Anthonia disse...

Loba, Você é belíssima!
Te acompanho a muito tempo e sua realidade poetica me faz sentir mais fêmea.

Obrigada!

Anthonia

Loba Azul disse...

Obrigada pela visita, Anthonia!