segunda-feira, 24 de novembro de 2014

CEDO



Cedo à mão a palmatória...
Os filamentos e as extensões todas de meus membros
Ah tudo Cedo...

A boca, a nuca, os dentes... o sorriso
Cedo a saudade, ao desmaio do desejo, as ilusões
e aos delírios incontinentes mais intensos

Cedo ou tarde é assim...
Sempre nós duas mais uma vez e de novo...
milhares de vezes outra vez!

Está certo?
Você entende que cedo? Percebe que cedo?

Ou... ainda é 'cedo'?


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Ilusion



 


Parece que perdi o sono... e o manhã que nunca vem
Parece que te sinto... Sentindo algo que não sei se faz sentido
Parece que esta chuva não vai parar... Se continuar a cair
Parece... Parece que reconheço minha face e a esqueço
Parece... Apenas parece que tudo acontece (des)acontecendo
Parece... Que existo não existindo
Parece... Que sempre que sei o que não sei

Parece... Que sou ferida por vertigens

Parece...