quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Abrazada a tu recuerdo...


Volar... a un pecho que me acoja
A unos brazos que me tengan...
A una boca... a tua boca...
Delicado lecho en que me escondo...
Conocedora de passiones olvidadas
Efímero volcán de abrazos y de besos
Dibujado permanece en mi retina
El contorno exacto de tu cuerpo
Moldeado paso a paso y sin costuras
Escrito a vuelo pluma de mis dedos
Anudado de lazos con tus manos
Sellados miles de veces con tus besos
Efluvios emanados de tu sexo
Aún inspiran incontinencias em mi cuerpo
Sedosa piel que recorría... acariciando en su ascenso
Montañas coronadas de turgencias
Valles inundados de deseo... o lamia...
En idéntico o contrario recorrido
Agitada boca... callada y contenida
O gritándole al mundo, contra el viento
Los placeres devenidos de tu cuerpo  y
... el sueño de nuestra alianza partida
Que poderosos horadan em mi mente
Para dejarme de nuevo postrada, mal herida
Conpunjida por tu ausencia,
escondida... muerta!



(AngellPex)


Um comentário:

Loba Azul disse...

CORAÇÃO COURAÇA


Porque te tenho e não
porque te penso
porque a noite está de olhos abertos
porque a noite passa e digo amor
porque vieste recolher a tua imagem
e és melhor do que qualquer imagem tua
porque és linda do corpo até à alma
porque és boa da alma até mim
porque te escondes doce no orgulho
pequena e doce
coração couraça


porque és minha
porque não és minha
porque te vejo e morro
e pior que morro
se não te vejo amor
se não te vejo


porque tu existes sempre onde quer
mas existes melhor onde te quero
porque tua boca é sangue
e tens frio
tenho que amar-te amor
tenho que amar-te
ainda que esta ferida doa por duas
ainda que te busque e não te encontre
e ainda que
a noite passe e eu te tenha
e não.


__Mario Benedetti