segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Do amor que sinto...


Como é tão vermelho o meu intenso sol dourado de ti... Sinceras seriam minhas luas platinadas, minhas manhãs turquesa e almiscaradas em ti... Te quiero em ouro português 22 kilates... Quero-te em beijos mordidos em gemido borincano... Te quiero em seixos, em conchas, em leitos de mar e rio ensandecida em mosaicos caleidoscópicos de volúpia... Em fragmentos de contentamento de cristal murano te quero azul, amarela, branca e mel... Caliente venusiana quase Spaña y vino... Rubro jaspe, pacion dementadora... Hipotenusa de meus perenes desejos mais  notórios e obscenos... Quase bacante... Quase ternura... Narcotizante... Te quiero para siempre porque hoje e sempre estou alucinada de fragrâncias tórridas e saudade... E, mesmo a doer horrores, mesmo assim, mais me sonho urgentemente condensada ao esmeraldino descerrar de suas pálpebras, por tuas mãos possuída sem censura... Porque mesmo antes de te conhecer eu já te pertencia e te sentia em mim Alisarin...  Porque contigo eu faria meu reinado y meu harém. Porque você é a criatura adorada de todos os meus dias... É AQUELA que sempre busquei e que tendo encontrado, encontrei a mim!


5 comentários:

Joira disse...

Forte, intenso, visceral!

Joira

Anônimo disse...

Este poema soa-me como a um Tango feiticeiro.
Denso, intenso, pungente, dramático, luxuriante!
Reverencio-te num beijo instintivo todas as vezes que te leio (e sinto) preciosa Loba, Senhora das letras encantatórias e das volições abissais mais secretas do universo feminino.•••.

Penso que sabeis quem sou (risos).
Caso contrário, que fique esta dúvida a te fazer cócegas ao pé da nuca.

Loba Azul disse...

Grata pela visita e, realmente não sei quem és tu.
Qto as cócegas incógnitas, às dispenso inconteste... Tenho hipersensibilidade inexaurível ao que ignoro...
"Detalhe"(rindo aqui,tbém).

Anônimo disse...

Bravo!
Bravíssimo!

Anônimo disse...

Belíssimo!