sexta-feira, 25 de maio de 2012

Quando

                                             
                                    

Quando
faço de conta
que você não existe,
ai quem não existe
sou eu...
E saiba,
Claro que eu estou inteira,
... inteira aos pedaços
E cheia,
Cheia de vazios
Chega!
Estou farta deste
abismo entre
nós... e
tenho tantas,
tantas perguntas
para as suas respostas...
_Salva-me
deste fundo sem fundo
Preciso da tua mão
do teu amor a me guiar
_Salva-me!
  



4 comentários:

Lobinho disse...

Amo esse clipe da Ana Carolina.
Beijos, querida.

Loba Azul disse...

Grata pela visita, caríssimo!
Beijos

Anônimo disse...

Que poema lindooo!

Anônimo disse...

Magnífico!

Joira